Os 4 pontos fundamentais para quem quer transformar o seu negócio em franchising

1 – O que se deve perguntar a si mesmo em 1º lugar: a minha empresa é diferente das outras?
Em Portugal temos cerca de 600 franchisings, a operar nas mais diversas áreas. Para competir neste universo, a sua empresa precisa de ter uma mais-valia, ou seja, algo que a distinga das outras. Pode ser o tipo de produto/serviço, o modelo de negócio, ou inclusive a própria força da marca (exemplo: marcas já muito conhecidas).
Pequenos ajustes no modelo de negócio, podem fazer grandes diferenças. Consulte um especialista.

2 – Sendo o franchising um modelo de win-win, é necessário fazer esta pergunta: o meu negócio tem lucro suficiente para ser dividido entre duas partes? Isto é: o franchisado ao abrir uma franquia minha, vai gerar volume de negócios suficientes para ter um bom lucro?
Pode parecer uma pergunta óbvia, mas só deve replicar o seu negócio se conquistou bons resultados. Mas se possui um negócio rentável, com boas vendas e bons resultados, é excelente partilha-lo com outras pessoas.

3 – Uma das perguntas-chave: já acumulou bastante conhecimento, para o poder partilhar (transmitir) com terceiros?
Isto, porque o franchisado compra um negócio para poder ter todo o conhecimento e partilha do franchisador, ou seja: um modelo de sucesso. E, o que ele espera, é receber da marca franchisadora todas as orientações necessárias para que o seu negócio seja também um sucesso. Por isso, na maioria dos casos, é recomendável que a empresa franchisadora tenha pelo menos 1 ano de existência.

4 – Afinal, qual o verdadeiro motivo que o leva a querer franchisar a sua empesa?
Motivos certos:

  • Achar que o franchising é uma forma de fortalecer a sua marca;
  • Querer fazer a empresa crescer sem custos adicionais;
  • Olhar para os franchisados como pessoas que vão tomar conta do seu negócio.

Motivos errados:

  • Pensar que vai ganhar dinheiro rápido, sem trabalhar;
  • Deixar que todas as pessoas que aparecem interessadas um abrir o seu negócio o façam (o perfil é muito importante, assim como a zona geográfica, etc.);
  • Correr riscos em “operações” não testadas pela empresa-mãe.

Resumo:
O franchising, é o sistema de expansão que melhor equilibra as 3 variáveis mais importantes para o crescimento de qualquer negócio: custo, cobertura e controle.
O franchisador consegue ter alto controle (ele define as regras e padrões) e alta cobertura (é possível abranger todo o território nacional, por exemplo), com custos muito baixos (afinal, são os franchisados que investem para abrir as suas franquias).
É por isso que tantas empresas usam esse modelo e alcançam óptimos resultados. O que falta para a sua marca também se tornar um franchising de sucesso?

Bons negócios!

Partilhar: